E quando chegar a hora da mudança…

A evolução do homem nos levou de seres humanos nômades para grupos familiares fixados em determinado local. E assim acontece no local de trabalho. Nos acostumamos a trabalhar em um determinado local, fazendo determinadas coisas, em um determinado período de tempo. Mas estamos sujeitos a mudanças, seja de residência, de cidade ou de trabalho.

E as mudanças no ambiente de trabalho por vezes chegam de surpresa e outras vezes são bem planejadas. As mudanças planejadas geralmente são discutidas por grupos de pessoas, ou que passarão pela mudança ou irão gerenciar esta mudança.

As mudanças de “surpresa” exigem do colaborador um comportamento diferenciado. É necessário saber reagir a mudança, mesmo que está mudança venha a ser um desligamento. O importante é manter a compostura e ter resiliência na hora do “vamos ver”.

O importante é que mantenhamos a cabeça erguida e a paciência para entendermos a situação e então reagir a ela de forma racional e empática. O agente da mudança também está sob certa pressão e uma reação exacerbada poderá gerar uma cadeia de ações desastrosas.

No caso de um desligamento, agradeça pelo período que permaneceu ali, coloque-se à disposição para as possíveis necessidades (quem sabe uma recontratação). Se for possível, encaminhe um e-mail para seus colegas e clientes dizendo que estará se afastando da empresa e que agradece a oportunidade de ter trabalhado com eles e, quem sabe, deixe um contato, afinal, nunca se sabe se alguém poderá te indicar para outra vaga.

Após isso viva esse pequeno luto, que é a mudança, já que nada mais será como antes. Após isso, arregace as mangas, monte um bom currículo, utilize o LinkedIn e não desanime.

Aos que sabem que estão no fio da navalha, é interessante intensificar o networking, atualizar currículo, revisar o LinkedIn. Afinal, é uma característica de um bom profissional antever os problemas.

Aqui vocês podem me perguntar:

– Se ele (o profissional) anteviu o problema, como ele não o evitou?

No momento atual nem todos os problemas, como os desligamentos, podem ser evitados pelo profissional. O que este pode fazer é evitar as consequências do desligamento. Desta forma o ideal seria pensar:

– A empresa está em crise, o que eu devo fazer?

Organize-se. Comece a pesquisar o mercado, capacite-se, faça uma reserva financeira, pois as contas continuarão vindo mensalmente.

Penso que as mudanças planejadas ou não merecem atenção especial e principalmente organização por parte dos envolvidos. Aí quando a mudança bater à sua porta você estará preparado para encarar o novo desafio :)

Fonte: profissionaisti.com.br

Comments:0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *