Como os falsos positivos prejudicam análise de fraude no e-commerce?

Falsos positivos são pedidos legítimos, feitos por clientes “bons”, mas que foram negados por suspeita de fraude.

Não é raro vermos e-commerces dizendo que não enfrentam problemas com a fraude, uma vez que têm a taxa de chargebacks sob controle e muito abaixo do limite recomendado pelas operadoras de cartão de crédito. No entanto, muitas destas lojas virtuais não sabem quanto dinheiro estão deixando de ganhar para manter estes indicadores. Isso acontece em razão de um índice pouco discutido no mercado: os falsos positivos.

Falsos positivos são pedidos legítimos, feitos por clientes “bons”, mas que foram negados por suspeita de fraude. Esta é uma métrica relativamente difícil de medir, apesar de ser fundamental para um lojista saber se a análise de risco está ajudando ou atrapalhando um negócio.

Muitos profissionais de e-commerce acreditam que a função de uma solução antifraude é barrar o máximo possível de transações suspeitas, mas esta visão é incompleta. O escopo da ferramenta deve ir além: um sistema de risco tem a obrigação de otimizar a conversão de um lojista, negando as compras suspeitas sem que isso, de maneira alguma, afete as compras legítimas.

Para ler o artigo completo acesse o link direto para o portal Administradores clicando aqui.

Autor: Tom Canabarro, Administradores.com
Fonte: Como os falsos positivos prejudicam análise de fraude no e-commerce?

Comments:0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *